quinta-feira, 22 de junho de 2017

CIÊNCIA & TECNOLOGIA

CENTRO DE ENSINO MANOEL BECKMAN NA SBPC 2017

Alunos integrantes do Grupo de Geotecnologia do CEMB

O Centro de Ensino Manoel Beckman estará no período de 16 a 22 de julho, na Universidade Federal da Minas Gerais, participando do maior evento científico do Brasil, a 69ª Reunião Anual da SBPC (Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência).
O aluno Luís Felipe Diniz Pereira, 17 anos, turma 304, integrante do Grupo de Geotecnologia da escola, coordenado pelo professor de Geografia Danilo Lemos teve seu projeto aprovado na área do Meio Ambiente, com o tema Mangues do Jaracati.
Para a consecução do projeto o aluno fez uso de imagem de satélite, visitas in loco ao ambiente de estudo, livros, revistas, reportagens, e outros instrumentos de divulgação. 
Questionado, o aluno falou da sua preocupação com o meio ambiente em São Luís, com devastação dos manguezais nas áreas ribeirinhas: “o mangue que está sendo devastado é difícil de se recuperar; e consequentemente está tirando vidas daquele ambiente; e a sobrevivência das pessoas, na captura do caranguejo”, diz.
Segundo o professor de Geoprocessamento da UEMA André Santos, “a pesquisa sobre os mangues é de fundamental importância, pois estão sendo suprimidos com a expansão imobiliária e as invasões desordenadas em algumas áreas”.
Merece destaque o estudo da aluna Thalicia Tavares dos Santos, turma 304, que participou do projeto de pesquisa sobre a ocupação ordenada e desordenada do Conjunto Bequimão. 
A aluna preocupada com a onda de calor naquele bairro, fez uma pesquisa de campo, entrevistando pessoas sobre a construção do bairro, de prédios, ocupações desordenadas de invasões, desmatamento de áreas de preservação ambiental, cujas consequências são calamitosas, segundo seu depoimento.
Para o professor Danilo Lemos, “os projetos colocam em pauta as aulas de Geografia, cujos temas falam sobre os problemas do Meio Ambiente; é uma maneira de buscar soluções para os problemas de hoje para não afetar o futuro”
A notícia rendeu matéria para a TV Mirante, na reportagem da jornalista Camila Marques, veiculada no Jornal Hoje 1ª Edição.

Aluno Luiz Felipe Diniz Pereira sendo entrevistado
 pela jornalista Camila Marques da TV Mirante
Luiz Felipe com o prof. André Santos

Prof. Danilo Lemos (esquerda) coordenador do projeto de pesquisa de Geotecnologia

terça-feira, 13 de junho de 2017

AÇÕES PEDAGÓGICAS

Oficina de Tambor de Crioula – parte final

Idealizadora, coordenadora, oficineiro e alunos da
Oficina de Tambor de Crioula do Manoel Beckman
Foto Divulgação

A oficina de Tambor de Crioula do Cento de Ensino Manoel Beckman chegou na sua fase final, com resultados positivos, formando a sua primeira turma de coreiros, e realizando um sonho antigo da escola.
A oficina idealizada pelas professoras Ana Débora Pereira de Barros (Arte) e Marta Aurélia Campos Silveira (Educação Física) foi coordenada pela professora Fátima Almeida (Fátima Passarinho) e contou com o apoio institucional da direção e da supervisão da escola. A duração foi de quatro semanas consecutivas, ministrada pelo oficineiro Alexandre Müller, percussionista da Companhia Barrica.
Os alunos Carlos Gabriel, João Vítor, João Marcos, Ítalo, Mateus, Francisco, Luís Guilherme, Carlos Péricles e Paulo Hígor da turma 202, turno vespertino foram os participantes da oficina e atual componentes do Tambor de Crioula do Manoel Beckman.
O encerramento se deu na Sala dos Professores, em clima de confraternização, ocasião em que a professora  Fátima Passarinho parabenizou a primeira turma de coreiros do Manoel Beckman; agradeceu o apoio institucional da direção e supervisão  da escola; o incentivo das professores Ana Débora e Marta Aurélia; a dedicação do oficineiro Alexandre Müller; e a Companhia Barrica, na cessão do tambor grande (roncador) para dar início às atividades, na ocasião em que o da escola estava em manutenção.

quinta-feira, 1 de junho de 2017

AÇÕES PEDAGÓGICAS



Oficina de Tambor de Crioula

Foto by Marta Aurélia Campos Silveira
O Centro de Ensino Manoel Beckman continua com as atividades preparatórias para os festejos juninos da Escola.
O Tambor de Crioula, a Quadrilha e outras manifestações características da época já estão tomando forma, esperando que a culminância seja no melhor estilo junino maranhense.
A oficina do Tambor de Crioula sob a orientação do instrutor Alexandre Müller, percussionista da Companhia Barrica, já está na sua terceira semana de execução e conta com mais uma semana para completar o período solicitado pela supervisão.
Os alunos estão empolgadíssimos com a oficina. A teoria e a prática contribuíram para  enriquecer ainda mais este conhecimento, como o aquecimento dos tambores, significado de cada som e sua importância na cultura popular maranhense.
A oficina já conta com a participação das meninas, que irão colorir a brincadeira com o figurino, gingado da dança e a pungada (umbigada própria das mulheres) – ponto alto dessa manifestação popular.
O tambor de crioula, segundo alguns pesquisadores, é uma espécie de samba cantado, marcado por tambores, com versos improvisados, dançado em roda, geralmente sobre terra batida, em homenagem a São Benedito, intercessor dos negros.
A coordenação da oficina é da profa. Fátima Almeida (Fátima Passarinho), com o incentivo e parte da ação pedagógica das professoras Ana Débora (Arte) e Marta Aurélia (Educação Física).
As fotos da profa. Marta Aurélia Campos Silveira (Educação Física) mostram a performance dos alunos na oficina de Tambor de Crioula.